Enfermagem Na Net: Diagnósticos de Enfermagem por Trimestre de Gravidez

Links Patrocinados

Oxímetros de Pulso              Estetoscópios              UltrasSom              Glicosímetros

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Diagnósticos de Enfermagem por Trimestre de Gravidez


Diagnósticos de Enfermagem por Trimestre de Gravidez

*Maria Alícia Carrillo Sepúlveda

Indicação diagnóstica é um meio para resumir ou codificar a opinião profissional feita em conseqüência da avaliação de todos os dados disponíveis da cliente. O diagnóstico clínico refletirá geralmente uma opinião a respeito do estado fisiológico ou patológico da mulher. Além do diagnóstico clínico, a enfermeira dispõe de outro conjunto de dados sobre as manifestações da mulher em estado gravídico, OS DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM, que pode incluir informações como "nutrição alterada relacionada a naúseas e vômitos da gravidez e deficiência de conhecimentos de princípios nutritivos". Estas afirmações não só resumem a avaliação da enfermeira, como também sugerem direções para o plano da assistência.


A Cliente no 1º Trimestre de Gravidez
Definição : O primeiro trimestre começa com a concepção e continua até a 12ª semana de gestação. Assim que começam as primeiras mudanças fisiológicas, surgem várias questões psicológicas e de desenvolvimento que devem ser consideradas pelo profissional de saúde. Estas questões podem estar relacionadas à: desejos durante a gravidez, medos sobre as capacidades maternais, bem-estar do feto, e expectativa de mudança de vida. Estabelecimentos seguros e confiáveis que ofereçam assistência de enfermagem de qualidade e modelo-padrão de cuidados pré-natal são indispensáveis para o bem estar da mãe e do bebê.
Avaliação de Enfermagem:
Anamnese: Uma história cuidadosamente colhida proporcionará não somente fatos objetivos, mas também informações valiosas sobre as crenças e sentimentos da cliente e sobre as formas em que ela prefere ser ajudada, dados estes importantíssimos para formular os diagnósticos de enfermagem.
1. História Menstrual:
  • menarca;
  • regularidade, intervalo, quantidade e duração do fluxo;
  • dismenorréia ou outras complicações;
  • data da última menstruação (DUM);
  • data provável de parto (DPP).

2. História Obstétrica:
  • uso anterior de anticoncepcional e outros tipos de controle de nascimentos;
  • gravidez anterior: complicações durante a gravidez/parto/pós-parto, horas de trabalho de parto, tipo e local do parto (hospitalar, domiciliar, normal, fórceps, cesárea), abortos, nascidos mortos, nascidos vivos (sexo, peso ao nascer, idade gestacional).
3. História Pessoal/Social:
  • idade, cor da pele;
  • estado civil e a quanto tempo;
  • composição familiar, idade dos outros filhos;
  • apoio social e financeiro disponível;
  • grau de instrução e profissão do casal;
  • uso de drogas (prescritas e não prescritas, uso de drogas ilícitas, consumo de álcool, quantidade de ingestão de cafeína), tabagismo;
  • expectativas dos cuidados pré-natais, aceitação da gravidez por parte da cliente, parceiro e sua família (gravidez planejada ou não);
  • padrão alimentar e peso anterior à gravidez.
4. História familiar:
  • história patológica pregressa;
  • história psicossocial;
  • história genética (doenças genéticas, gemelaridade;
  • antecedentes patológicos pessoais.

Exame Físico: peso e altura, sinais vitais, exame físico geral, exame físico ginecológico usual dos órgãos reprodutivos, abdome e pelve. O abdome será palpado para determinar a altura do fundo uterino e, se a gestação estiver desenvolvida o suficiente, o contorno do feto, sua situação e apresentação. Dados físicos específicos da gravidez. Presença de batimentos cardíacos fetais (BCF) e os testes laboratoriais e exames, que segue:
 tipagem sangüínea ABO e Rh+ (com Coombs Indireto quando Rh negativo);
 hemograma (repetir Hb/Ht às 28 semanas);
 sorologia para sífilis (VDRL). Se VDRL (+), solicitar FTA-Abs ou TPHA. Repetir às 28 semanas;
 urina I;
 glicemia de jejum;
 sorologia para Toxoplasmose (EIA e imunofluorescência com IgG e IgM se IEA (+);
 sorologia para Rubéola (com IgG e IgM);
 sorologia consentida para HIV;
 HbsAg;
 protoparasitológico;
 ecografia obstétrica (para ser realizada entre 20-24 semanas);
 citologia oncótica do colo uterino (Papanicolau);
 medida do pH vaginal e teste de Whiff (1ª consulta e às 28 semanas).
A vacinação anti-tetânica deverá ser realizada em todas as gestantes não vacinadas ou vacinadas há mais de 5 anos, iniciando-se após 20 semanas.
A suplementação de ferro deverá ser feita quando a gestante tiver maior risco de estar depletada em suas reservas de ferro (desnutrida, multípara, puérpera recente, cliente previamente anêmica).
Conhecimento da Família e da Cliente: Efeitos da gravidez no corpo e organismo da gestante, sinais de problemas ou complicações, crescimento e desenvolvimento do feto, necessidades nutricionais, planejamento para o parto e alimentação para o bebê.

Assistência de Enfermagem
 Meta :
A cliente/família deverá aceitar a gravidez; colaborar para assegurar uma gravidez saudável e identificar mudanças físicas e emocionais normais durante a gravidez.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
1. Manutenção da Saúde Alterada relacionado a falta de cuidados com a gravidez.
Objetivos
A cliente deverá:
 reconhecer a necessidade dos cuidados pré-natal que promovem ótimos resultados;
 estabelecer um relacionamento terapêutico com os profissionais de saúde;
 reconhecer os fatores de risco e sinais de complicações.
Planejamento de Enfermagem:
  discutir a razão dos cuidados pré-natais e incluir na discussão a questão do suporte dado pelo companheiro, familiares, amigos e outros;
  emprego de um padrão eficaz de comunicação;
 fazer referências apropriadas, como a necessidade de atendimento por outros profissionais da saúde (psicólogos, nutricionistas...).
Resultados Esperados
A cliente/família deverá:
 reconhecer a necessidade e importância dos cuidados pré-natais;
 verbalizar suas dúvidas para a enfermeira;
 recorrer a outros profissionais quando necessário;
 participar ativamente na manutenção dos cuidados com a saúde.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
2.1. Nutrição Alterada: ingestão menor que as necessidades corporais relacionado ao aumento das necessidades nutricionais;
2.2. Alteração de Conforto (naúsea/vômitos) relacionado a efeitos das alterações gravídicas.
A nutrição adequada é um fator importante que contribui promovendo ótimos resultados na gravidez. Algumas substâncias (álcool, drogas, cigarros) podem afetar negativamente no desenvolvimento fetal. Naúseas e vômitos durante o 1º trimestre (freqüentemente a indisposição ocorre pela manhã, mas pode ocorrer em qualquer hora do dia) promove complicação na manutenção adequada dos nutrientes ingeridos. A exata causa é desconhecida, mas pode ser o resultado do aumento de hormônios, especialmente (HCG). Normalmente estes problemas diminuem com o fim do primeiro trimestre.

Objetivos
A cliente deverá:
 adotar uma dieta bem balanceada, apropriada para a gravidez;
 descrever os nutrientes necessários que devem ser consumidos para atender as demandas metabólicas;
 ter experiência mínima com naúseas e vômitos.
Planejamento de Enfermagem:
 levantar uma história da dieta para identificar se a cliente tem dieta especial ou receita de suplemento vitamínico;
 perguntar se está mantendo a dieta balanceada; rever isto com a cliente e fazer ajustes se necessário;
 avaliar a não ingestão de comida;
 fornecer aconselhamento nutricional;
 reforçar informações através de material impresso;
 pesar cliente em cada consulta;
  fornecer parâmetros de ganho de peso;
 ensinar métodos que minimizem as naúseas e vômitos.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 relatar as ingestas necessárias durante a gravidez;
 manter dieta balanceada para gravidez e rever esta nas próximas consultas;
 verbalizar sintomas de alívio após intervenções;
 relatar diminuição de ocorrências ou desaparecimento dos sintomas até o final do primeiro trimestre;
 ganhar 1-2Kg durante o primeiro trimestre.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
3. Constipação relacionada a efeitos das alterações gravídicas.
O peristaltismo do trato gastrointestinal torna-se lento devido ao aumento do nível de progesterona. Isto resulta em aumento da absorção de água. Com a evolução da gravidez, a dilatação do útero comprime os intestinos contribuindo para o agravamento do problema. Suplemento de ferro (embora geralmente iniciado no 2º trimestre) também pode causar constipação.
A cliente deverá:
 identificar métodos para manter o padrão normal de eliminação intestinal.
Planejamento de Enfermagem:
 identificar padrão normal de eliminação;
 encorajar a cliente a beber 8 a 10 copos de água/dia e escolher dieta rica em fibras;
 encorajar manutenção do nível de atividade apropriada para o estágio de gravidez;
 orientar a cliente a evitar a ingestão de laxantes e enemas, a menos que especificamente prescrito pela enfermeira ou médico.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 descrever fatores que contribuem para a predisposição de constipação durante a gravidez;
 identificar funcionamento normal dos intestinos;
 manter ingestão de líquidos e fibras;
 comer alimentos leves, para ter movimentos intestinais regulares.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
4. Intolerância à atividade relacionada a fadiga associada à gravidez.
Fadiga é uma sensação comum no primeiro trimestre de gravidez. A exata etiologia é desconhecida mas pode ser devido ao aumento do nível de progesterona.
Objetivos
A cliente deverá:
 repousar adequadamente;
 planejar atividades que concilie com as necessidades da gravidez.
Planejamento de Enfermagem:
 preparar a cliente para enfrentar o aumento da fadiga e ajudá-la a identificar as atividades diárias que podem ser adaptadas, ajustadas;
 estimular cliente a repousar quando necessário e ajudá-la a encontrar os períodos de descanso e repouso dentro das suas atividades diárias;
 enfatizar a importância de estar consumindo alimentos adequados para a manutenção dos níveis energéticos;
 aconselhar com atenção a manutenção e ajuste dos exercícios direcionados para a gravidez e avisar a cliente em relação a contra-indicação de iniciar durante a gravidez a prática de exercícios rigorosos;
 identificar as atividades diárias que devem ser reguladas e ajudar a criar estratégias que atendam as suas necessidades.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 fazer períodos de repouso quando necessário;
 regular o nível das atividades diárias para minimizar o aumento da fadiga;
 manter ingestão de dieta adequada;
 ajustar o nível de exercícios direcionados para a gravidez, quando necessário.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
5.1. Processo Familiar Alterado relacionado a gestação.
5.2. Padrão de Sexualidade Alterado relacionado a mudanças da libido durante a gravidez.
A família deve tratar com a realidade que em breve terá um novo membro dentro da família. O estresse familiar durante a gravidez pode resultar em alterações potenciais. A mudança hormonal pode aumentar ou diminuir a libido, promovendo estresse na interação entre marido/mulher.
Objetivos
A cliente/família deverá:
 verbalizar a aceitação da gravidez;
 verbalizar seus sentimentos para a enfermeira e(ou) outras pessoas;
 aceitar seus sentimentos como normais;
 reestabelecer e manter a função de cada um (companheiro, família).
Planejamento de Enfermagem
 facilitar a comunicação ajudando a cliente a identificar as áreas de estresse dentro da vida em família;
 identificar as experiências comuns entre as mulheres grávidas;
 encorajar a cliente a expressar seus sentimentos para seu parceiro; enfatizar que o sentimento instável durante a gravidez é normal;
 sugerir a leitura de materiais sobre o assunto; fazer referência a recursos externos quando apropriado.
Resultados Esperados
A cliente/família deverá :
 verbalizar sentimentos para a enfermeira ;
 manter sistema de suporte mútuo (esposa e marido);
 discutir a leitura do material indicado nas próximas consultas;
 verbalizar melhora após ajustamentos associados a mudança de libido.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
6. Déficit de Conhecimento com relação a efeitos da gravidez, sinais de complicações.
Mudanças anatômicas e fisiológicas deverão continuar ocorrendo com o avanço da gestação. A cliente precisa conhecer e compreender as mudanças normais para ajudar a aliviar os medos e ansiedades. O conhecimento da cliente deverá ser trabalhado para que seja dado um cuidado pré-natal apropriado principalmente se surgirem eventuais condições anormais. A mulher grávida também deverá saber sobre o desenvolvimento de seu feto no útero. Contanto que estas informações podem também ajudara cliente a cumprir com as recomendações feitas para proteger a sua saúde e do bebê que esta por nascer.
A cliente deverá :
 identificar mudanças normais durante a gestação;
 listar sinais e sintomas de complicações que podem surgir na gravidez.
Planejamento de Enfermagem :
 rever instruções com relação a nutrição, atividades e providenciar material escrito como um suporte de informações;
 encorajar, estimular cliente a perguntar quando tiver dúvidas/questões;
 listar sintomas específicos que requerem atenção imediata (por ex.: sangramento vaginal, contrações, vômitos prolongados).
Resultados Esperados
A cliente deverá :
 verbalizar entendimento, compreensão das mudanças físicas durante a gravidez;
 enumerar sinais e sintomas que devem ser informados imediatamente;
 ter número de telefone do serviço que dê informações sobre o assunto e esclareça dúvidas.


A Cliente no 2ª trimestre de gravidez
Definição: O segundo trimestre de gravidez começa na 13ª semana e continua até a 24ª semana de gestação.
Avaliação de Enfermagem:
Histórico: Rever a data provável do parto (DPP); desenvolvimento da gravidez; dieta; peso ganho ou perdido durante o primeiro trimestre, início de desconforto; resultados laboratoriais, problemas/complicações durante o primeiro trimestre (por ex.: indisposição -naúseas e vômitos- pela manhã, fadiga, constipação, azia...).
Achados Físicos: sinais vitais, peso, altura uterina, batimentos cardíacos fetais.
Questões Psicossociais: percepção do feto como um ente separado, questões sobre auto-concepção e relacionamento sexual.
Conhecimento da Família e da Cliente: efeitos da gravidez sobre o corpo e o organismo; desenvolvimento e crescimento fetal; sinais e sintomas de problemas ou complicações; necessidades nutricionais; habilidade no papel de ser pai/mãe, capacidade de aprendizagem; preparação e disposição para aprender.

Assistência de Enfermagem
 Meta
A cliente deverá manter uma gravidez normal e começar a perceber o feto como um novo ente dentro da família.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
1. Manutenção da Saúde Alterada relacionada a falta de cuidados pré-natais.
Cliente e família podem não enxergar a necessidade das consultas pré-natais. A falta de cuidados regulares pode resultar em deterioração da saúde maternal com maus resultados para o bebê.
Objetivos
A cliente deverá:
 reconhecer a necessidade das consultas periódicas para cuidados pré-natais que, por sua vez, levam a uma gravidez com melhores resultados;
 estabelecer/manter um relacionamento terapêutico com os profissionais de saúde;
 participar na identificação dos fatores de risco e descrever os riscos.
Planejamento de Enfermagem:
 usar um padrão de comunicação efetivo, ser um ouvinte ativo, não apressar a cliente;
 rever os cuidados pré-natais fundamentais, permitir perguntas e questionamentos, lembrar a cliente que toda questão feita é válida, nenhuma é ridícula;
 marcar consultas num horário que seja melhor e convenha para a cliente;
 perguntar para a cliente como ela prefere ser chamada (Sra., você, primeiro nome, apelido...);
 estimular envolvimento ativo no auto-cuidado, providenciar oportunidades para a cliente tomar decisões, elogiar a cliente quando apropriado;
 rever estilo de vida, fatores de risco (fumo, consumo de álcool, uso de drogas), trabalhar com a cliente a eliminação dos riscos.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 manter o acompanhamento dos cuidados pré-natais através das consultas marcadas;
 recorrer à enfermeira sempre que sentir necessidade;
 continuar sendo uma participante ativa na manutenção dos cuidados à saúde.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
2. Constipação relacionada a mudança dos hormônios e pressão da dilatação do útero sobre o cólon.


DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
3. Intolerância à Atividade relacionado à gestação.
Fadiga é uma sensação comum no primeiro trimestre de gravidez e é normalmente resolvida no segundo trimestre de gestação. Estudos atuais apontam que a mulher deve manter atividades durante a gravidez, mas não a ponto de exaustão, pois pode causar diminuição da circulação sangüínea do feto. Com o avanço da gestação o centro da gravidade muda, colocando a cliente em risco de prejuízo pessoal devido a falta de coordenação.
A cliente deverá:
 manter o equilíbrio entre a atividade e o repouso;
 reconhecer as mudanças fisiológicas que causam falta de coordenação;
 não deverá ser prejudicada caso venha a ter mudanças no equilíbrio, estabilidade.
Planejamento de Enfermagem:
 discutir atividades que são convenientes e seguras durante a gravidez;
 estimular o repouso quando necessário e ajudar a desenvolver um plano que promova um equilíbrio entre atividade e repouso;
 evitar atividades que causem estresse ou permanecer longos períodos de tempo em pé, para prevenir estagnação de sangue nas extremidades e diminuição do retorno venoso;
 reforçar as precauções de segurança (usar corrimão quando subir ou descer escadas, carregar sacolas ou pacotes com ambas as mãos, utilizar apoio firme quando tomar banho no chuveiro ou banheira para evitar problemas com a descoordenação).
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 reconhecer mudanças no corpo que predispõem a falta de coordenação;
 permanecer ativa dentro das recomendações gerais;
 estar livre de prejuízos, lesões, ferimentos.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
4. Déficit de Conhecimento com relação aos efeitos da gravidez no organismo, crescimento do feto.
Mudanças anatômicas e fisiológicas deverão continuar ocorrendo com o avanço da gestação. A cliente precisa conhecer e compreender as mudanças normais para ajudar a aliviar os medos e ansiedades. O conhecimento da cliente deverá ser trabalhado para que seja dado um cuidado pré-natal apropriado principalmente se surgirem eventuais condições anormais. A mulher grávida também deverá saber sobre o desenvolvimento de seu feto no útero. Estas informações podem também ajudar a cliente a cumprir com as recomendações feitas para proteger a sua saúde e do bebê.
Objetivos
A cliente deverá:
 compreender as mudanças anatômicas e fisiológicas normais que ocorrem durante a gravidez;
 reconhecer desvios normais e proporcionar cuidados com a saúde;
 descrever o crescimento normal do feto apropriado para a idade gestacional;
 falar sobre os cuidados que devem ser tomados com a saúde quando for sua primeira gravidez.
Planejamento de Enfermagem:
 fazer um plano de ensino específico para a cliente, usar uma variedade de recursos de ensino (gráficos, filmes, diagramas, impressos);
 discutir mudanças normais na anatomia e fisiologia durante a gravidez, rever mudanças que a cliente está vivenciando (aumento da azia, aumento da secreção vaginal);
 rever benefícios de uma boa higiene pessoal, roupas confortáveis e um sutiã adequado;
 discutir sinais de problemas (como sangramentos) e a importância de estar avisando sobre quando isto ocorrer para providenciar cuidados;
 utilizar recursos visuais para apresentar o crescimento fetal em cada consulta pré-natal;
 explicar que movimentos fetais ocorrem normalmente entre 18 e 20 semana na primípara e na 16 semana na multípara.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 relatar quando ocorrer movimentos fetais;
 atingir o objetivo dos estudos, aprendizado;
 descrever mudanças comuns que ocorrem no segundo trimestre de gravidez;
 listar sinais de problemas e condutas apropriadas que devem ser tomadas.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
5. Potencial para Distúrbio no Auto-Conceito relacionado com as mudanças físicas e psicossociais associadas à gravidez:
5.1.Distúrbio da Imagem Corporal
5.2.Distúrbio da Auto-Estima
5.3.Desempenho de Papel Alterado
5.4.Distúrbio da Identidade Pessoal
Mudanças físicas e psicossociais associadas a gravidez podem alterar o auto-conceito da mulher. Não há resposta fixa para o distúrbio de auto-concepção e a pessoa pode manifestar comportamento que projeta o problema em outro lugar (por ex.: brigas com o marido sem motivo).
A cliente deverá:
 aceitar as alterações na imagem do seu corpo;
 começar a aceitar o papel de mãe e incluí-lo em seu auto-conceito.
Planejamento de Enfermagem:
 atuar como uma ouvinte ativa;
 discutir mudanças de papel como mulher/mãe/cuidadora que deverá ocorrer com o nascimento;
 discutir conceito em relação ao cuidar da mãe; ajudar a cliente a estabelecer seus reais objetivos/expectativas no novo papel;
 incorporar o pai nas discussões quando apropriado;
 dar instruções sobre modos seguros de relações sexuais e outros métodos para manter a intimidade;
 elogiar a cliente devido a sua aparência (grávida);
 ajudar a cliente a reconhecer a representação do seu comportamento; proporcionar reforço positivo para tentar limitar estes comportamentos.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 estabelecer seus objetivos realistas em relação ao desempenho do seu papel;
 assumir as responsabilidades de mãe planejando um lugar no lar para o bebê;
 projetar uma auto-imagem positiva.
O casal:
 manter relacionamento íntimo.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
6.1.Processo Familiar Alterado relacionado à gravidez.
6.2.Risco para Paternidade/Maternidade Alterada relacionado a falta de conhecimento sobre as técnicas de cuidado para o bebê.
A família deve tratar com a realidade de que, em breve, haverá um novo membro na família. A mulher grávida deve enfrentar o progresso das mudanças físicas e emocionais. O pai poderá preocupar-se com as condições financeiras ou estar com ciúmes da atenção que sua esposa está recebendo. Mudanças ocorrem se a família está pronta/disposta a aceitá-las ou não.
A maternidade/paternidade é um aprendizado comum no núcleo de uma estrutura familiar, muitas vezes com resultado positivo para o casal com pequena experiência no cuidado de crianças. Intervenções para proporcionar informações e reduzir fatores de risco que predispõe a cliente/casal a problemas na maternidade/paternidade devem ser iniciados durante o período pré-natal. Intervenções iniciadas durante a gravidez podem continuar depois do nascimento.
A cliente/família deverá:
 realizar tarefas segundo o desenvolvimento da gravidez;
 estabelecer/manter comunicação terapêutica com os profissionais de saúde;
 reestabelecer/manter suporte funcional uns com os outros;
 identificar sistemas/grupos de apoio para ajudar nas responsabilidades materna/paterna;
 participar na preparação do parto e assistir a reuniões dos grupos de pais.
Planejamento de Enfermagem:
 facilitar a comunicação encorajando a cliente a compartilhar seus sentimentos com seu parceiro/marido;
 escutar os sentimentos dos pais sobre as várias mudanças que ocorrem no relacionamento deles; confirmar que os sentimentos são normais e podem ser resolvidos;
 estimular a freqüentar as consultas pré-natais para apoio pessoal;
 recomendar assistência na preparação para o parto e participação em grupos de pais;
 proporcionar leitura de material sobre gravidez; cuidados ao recém-nascido, maternidade/paternidade e recomendar referências adicionais;
 ajudar a identificar sistemas/grupos de apoio;
 dar continuidade à avaliação do desenvolvimento do papel dos pais durante toda a gravidez.
Resultados Esperados
A cliente/companheiro/família deverão:
 verbalizar sentimentos para a enfermeira;
 estabelecer um sistema de apoio mútuo (marido e mulher; mulher e profissional);
 discutir a leitura dos materiais em cada consulta;
 identificar sistema de apoio disponível;
 matricular-se em aulas sobre preparação para o parto/maternidade.


A Cliente no Terceiro Trimestre de Gravidez
Definição: O terceiro trimestre começa com a 24ª semana de gestação e continua até o parto do neonato, que normalmente ocorre na 42ªsemana. A mulher deverá ter completado o desenvolvimento da primeira e segunda etapa da gravidez e estar trabalhando na terceira etapa, que é a preparação para o nascimento e desenvolvimento do papel de mãe/pai. As consultas de cuidados à saúde aumentam de freqüência passando de 1 vez/mês para 1vez/2 semanas e depois, 1vez/semana com a aproximação da data provável do parto.

Assistência de Enfermagem:
    1. História: rever o histórico e atualizar dados; rever data provável do parto; desenvolvimento da gravidez; dieta; peso ganho ou perdido; ocorrências incomum (por ex.:sinais e sintomas de pré-eclâmpsia, problemas para dormir, cãimbras nos MMII, trabalho de parto prematuro, sangramento anormal no terceiro trimestre).
    2. Achados Físicos: sinais vitais, peso, altura uterina, batimentos cardíacos fetais, notar sinais geralmente apresentados no 3º trimestre, dispnéia, contração Braxton-Hicks, hemorróidas, varicosidades.
    3. Questões Psicossociais/Fatores de Desenvolvimento: preparação para o nascimento e desenvolvimento do papel dos pais.
    4. Conhecimento da Cliente e Família: localização do hospital, plano de cuidados para os outros filhos durante a internação da mãe, processo de nascimento, cuidados com o recém-nascido, reconhecimento de capacidades e limites, vontade e disposição para aprender.

Assistência de Enfermagem
 Metas:
A cliente deverá manter uma gravidez normal e dar à luz a termo a um bebê saudável.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
1. Manutenção da Saúde Alterada relacionado a falta de cuidados pré-natais.
A cliente necessitará de uma observação mais cuidadosa durante o último trimestre e um esclarecimento de suas necessidades. A falta de cuidados regulares pode resultar na deterioração da saúde materna e prejuízos ao bebê.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
2. Constipação relacionada a mudança dos hormônios; pressão sobre o cólon devido a dilatação do útero.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
3. Intolerância à Atividade relacionado à gravidez.
No último trimestre de gravidez a mulher se sente mais "pesada" e pode apresentar sensação de fadiga.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
4. Conforto alterado relacionado ao estágio avançado da gravidez.
Com o avanço para o 3º trimestre, a cliente vivenciará desconfortos relacionado as mudanças anatômicas e fisiológicas da gravidez. Estes desconfortos vão incomodar, mas não ameaçar a vida da gestante e do bebê. A enfermeira pode oferecer antecipadamente orientações que ajudem a mulher a enfrentar esses desconfortos.
Objetivos
A cliente deverá:
 reconhecer os desconfortos comuns que ocorrem no 3º trimestre;
 diminuir os sintomas através de ações.
Planejamento de Enfermagem:
 proporcionar antecipadamente orientações sobre os desconfortos comuns durante o 3º trimestre (hemorróidas, insônia, varicosidades, dor nas costas);
 ensinar a evitar esforço, manter eliminação intestinal regular, evitar permanecer por longos períodos de tempo sentada;
 estimular a cliente a cochilar; a utilizar técnicas de relaxamento que promovam o sono; sugerir o acréscimo de travesseiros para apoio ao corpo; estimular a ingestão de leite morno e um banho aquecido antes de dormir;
 enfatizar a manter a boa postura e descansar ou repousar quando necessário, ensinar exercícios para a pelve, massagear as costas para diminuir o desconforto;
 avisar a cliente à evitar o uso de roupas justas; estimular o uso de meias elásticas;
 oferecer apoio quando puder e lembrar a cliente que a gravidez está quase acabando.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
 diminuir os sintomas com intervenções apropriadas.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
5. Distúrbio da Auto-Concepção relacionado às mudanças físicas e psicossociais durante a gravidez.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
6.1.Processo Familiar Alterado relacionado à gravidez.
6.2.Risco para Paternidade/Maternidade Alterada relacionado a falta de conhecimentos sobre as técnicas de cuidados com o bebê.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
7. Déficit de Conhecimento com relação a efeitos da gravidez, sinais de complicações.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
8. Déficit de Conhecimento com relação a sinais e sintomas de trabalho de parto.
Revisão e estudo precoce dos sinais e sintomas do trabalho de parto podem ajudar a aliviar os sentimentos de ansiedade sobre o processo de nascimento, além de prevenir problemas potenciais associados a trabalho de parto prematuro. Se os pais não tiveram aulas sobre parto, não estão preparados. A enfermeira é a profissional indicada para educar a mulher e seu companheiro sobre a evolução normal do trabalho de parto.
Objetivos
A cliente deverá:
 identificar os sinais e sintomas do trabalho de parto;
 compreender o processo normal do trabalho de parto;
 chegar ao hospital em tempo, para que se possa tomar a conduta ideal;
 descrever e praticar técnicas de relaxamento que podem ser usadas durante o trabalho de parto.
Planejamento de Enfermagem:
 avaliar se a cliente/parceiro estão preparados para cursar aulas sobre parto e interessados em estudar suas necessidades; se não estão cursando as aulas, fornecer informações para a cliente/família sobre técnicas de respiração, tipos de anestesias, evolução do trabalho de parto e estimular a prática das técnicas de respiração;
 assegurar se a cliente está apta para cronometrar a freqüência das contrações uterinas, duração e intensidade;
 orientar a cliente a falar no consultório médico, clínica ou hospital quando iniciar as contrações;
 enfatizar que uma vez rompidas as membranas, a cliente deverá ir imediatamente ao hospital;
 estimular a cliente a perguntar, esclarecer dúvidas e desabafar seus sentimentos;
 assegurar se a cliente tem o número do telefone do consultório e sabe onde fica localizado o hospital.
Resultados Esperados
A cliente deverá:
listar sinais e sintomas que antecipam o trabalho de parto;
ter o número de telefone do seu obstetra e saber localizar o hospital;
ir ao hospital em tempo apropriado para avaliação;
tomar providências no caso de ocorrer ruptura de membranas;
praticar técnicas de relaxamento e respiração.

Referências Bibliográficas
ZIEGEL,E.E.; CRANLEY, M.S. Enfermagem Obstétrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1985.
HANSON-SMITH, B. Nursing Care Planning Guides for Childbearning Families. Baltimore : Williams & Wilkins, 1985.
NÓBREGA, M.M.L da; GARCIA,T.R.LORG. Uniformização da linguagem dos diagnósticos de enfermagem da NANDA: sistematização das propostas do II SNDE.. João Pessoa, A União, CNRE/GIDE-PB, 1994.

*Aluna Bolsista (Iniciação Científica) da FAPESP
Orientadora: Profª. Dra. Maria Helena Baena de Moraes Lopes



Oxímetros de Pulso              Estestoscópios              UltrasSom              Glicosímetros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Links patrocinados