Enfermagem Na Net: Fotos em estúdio de recém-nascidos viraram febre, mas exigem profissionais especializados

Links Patrocinados

Oxímetros de Pulso              Estetoscópios              UltrasSom              Glicosímetros

segunda-feira, 16 de março de 2015

Fotos em estúdio de recém-nascidos viraram febre, mas exigem profissionais especializados

Fotos em estúdio de recém-nascidos viraram febre, mas exigem profissionais especializados






Em estilo vintage, rádio amplificador em forma de Kombi. Na Imaginarium, R$ 149,90


Caneta esferográfica com ponta touch screen para tablets e smartphones. Na Sheaffer, R$ 129

Bebê enroladinho, no baldinho, no cesto e até no capacete do papai. As fotos dos pequenos rendem milhares de curtidas nas redes sociais e são lembranças de uma fase especial. O chamado newborn, estilo de fotografia com recém-nascidos, existe há mais de dez anos na Austrália e nos Estados Unidos. No Brasil, aterrissou no final de 2009 e vem gerando alta demanda de mercado. Com a grande procura, muitos fotógrafos migraram para essa área. No entanto, é imprescindível que o profissional seja especializado, alerta a fotógrafa Karim Scharf, pós-graduada em comunicação e embaixadora da Samsung no Brasil.

VÍDEO: Os recém-nascidos em frente às lentes

Karim ministra workshops sobre newborn por todo o país, nos quais orienta quanto a fisiologia, anatomia, segurança e conforto do bebê. "O recém-nascido é frágil, delicado e exige total atenção. O fotógrafo tem de ter domínio sobre a técnica e os equipamentos, para que possa focar somente no bebê", explica.

De acordo com ela, o ambiente onde vai ocorrer a sessão de fotos precisa estar aquecido, com temperatura entre 26°C e 29°C. A umidade do ar não pode estar abaixo de 30%, para não causar desconforto respiratório. É fundamental que o fotógrafo tenha um auxiliar, além de cuidados com higiene e assepsia dos acessórios.

A fotógrafa Vanessa Ribeiro fez sua especialização em newborn com Karim e pratica o estilo há um ano e meio. Um dos acessórios que ela utiliza durante as fotos é o wrap, um tecido elástico importado que permite enrolar o bebê e deixá-lo seguro. "A gente agasalha, deixa o recém-nascido bem envolvido, ele se sente protegido e relaxa mais", descreve a fotógrafa.

O ideal é que o bebê tenha entre cinco e dez dias para fazer as fotos. "Quando são mais novinhos, são mais dorminhocos, flexíveis e não têm cólica, o que possibilita fazer mais posições", afirma Vanessa. A partir dos dez dias de vida, os bebês se esticam mais, o que dificulta o trabalho. No entanto, a fotógrafa já chegou a clicar bebês de 23 dias, sem problemas.

As fotos imitam as posições em que o bebê ficava dentro da barriga, tornando o processo bem confortável. Além disso, diz Vanessa, os pais ficam presentes durante todo o tempo. As sessões são feitas em estúdio e duram de três a cinco horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Links patrocinados